INFORMATIVO HISTÓRIA CAPELAS PASTORAIS MOVIMENTOS SERVIÇOS


CAPELA SAGRADA FAMÍLIA

No início de 1978, com o término da construção do Conjunto Residencial Júpiter somado a então chegada de muitas famílias no local e juntando-se às poucas casas e famílias que havia nos arredores, as únicas opções de se ir até a Igreja eram a Paróquia de São Cristóvão e a então Capela de Nossa Senhora do Monte Claro. O acesso era muito difícil, principalmente para a Igreja do Monte Claro, em função da imensa escavação na Rua Almirante Alexandrino que na época, teria uma estrada de ferro, o que jamais veio a ser realizado. Hoje, a mesma é asfaltada e devidamente aterrada na região que antes era barroca e de difícil acesso.

Com o povoamento do novo conjunto residencial, foi sentindo-se a necessidade de formar uma comunidade mais próxima, onde o povo pudesse se reunir para celebrar sua fé e vivência em comunidade. Foi iniciado então as reuniões da Legião de Maria com o acompanhamento das Senhoras Azila Rodrigues e Alda Bordignon. Essas reuniões eram realizadas em casa. As mesmas senhoras foram verificar junto ao Pe. Pedro Fuss, pároco de São Cristóvão, a possibilidade de celebrar Missas no bairro, proporcionando maior facilidade e comodidade ao povo, devido à dificuldade de acesso às igrejas mencionadas. 

O Pe. Pedro Fuss não concordou com o pedido, alegando que as missas deveriam ser celebradas somente nas Igrejas. Devido a essa negativa, foi-se conversar com o então bispo de Curitiba Dom Pedro Fedalto. Como ele não estava naquele momento, foi conversado com monsenhor Falarz, partindo-se do argumento de que os primeiros cristãos se reuniam para celebrar e partir o pão nas casas e mesmo, após ordem do bispo, autorizou as celebrações. A carta com a ordem do bispo foi entregue ao Padre Pedro Fuss e a partir de então, o Pe. Ernesto Zaramella, morador da Rua Almirante Alexandrino, próximo a Igreja Monte Claro, se dispôs a atender a nova comunidade que estava começando. Inicialmente, a Santa Missa foi celebrada aos sábados, no horário das cinco horas da tarde no local que hoje é a Escola Municipal Antonio Rios.

Em 1979 chegaram os Senhores Aurélio Severino Alves e Samir Medeiros, os quais depois se tornaram membros das comissões da comunidade. Com o desejo de se conseguir um terreno para a construção da Igreja e com os apelos insistentes da comunidade, foi doado o tão sonhado terreno. O Prefeito na época era o Sr. Moacir Piovezan. Posteriormente, em função da demolição da Escola no Conjunto Júpiter, foi obtida a permissão da Senhora Sônia Maria Escolaro, diretora da Escola Afonso Pena, para que a Missa lá fosse celebrada. 
Para as celebrações da Santa Missa, os adolescentes e jovens se encarregavam de transportar as cadeiras das salas de aulas para o saguão e enquanto isso, as demais pessoas organizavam o altar, colocavam lonas e cortinas para se fazer uma parede aos fundos e então, o espaço da celebração tomava forma, mesmo simples, tornava-se digno e belo para o momento litúrgico. Ressaltamos aqui a grande contribuição do casal Hilda e Maurílio de Castilho, caseiros da Escola Afonso Pena, sempre atentos e disponíveis para atender as necessidades da comunidade que se utilizava daquele espaço. Nesse mesmo espaço, destaca-se que as primeiras turmas da Catequese, fizeram ali sua primeira comunhão. O tempo foi passando e a comunidade nascente já dando alguns passos maiores, vai-se organizando e buscando colocar em prática a realização de seus anseios mais fortes: ter o seu espaço, o local onde o templo possa ser construído e onde a sede da comunidade possa servir de abrigo para os encontros, Catequese, reuniões, caminhada das pastorais, grupos e movimentos. 

No dia 09 de Maio de 1981 aconteceu a primeira reunião, formando-se uma comissão para a construção de uma capela para os moradores residentes nessa localidade, denominada na época de Colônia Afonso Pena. Neste período a comunidade se reunia para celebrar a Missa no Colégio Afonso Pena. 

Em 19 de Setembro de 1982 com a Santa Missa às dez horas, celebrada pelo Pe. Ernesto Zaramella, foi inaugurada a Capela Sagrada Família, no espaço que hoje é usado como salão de festas e também para cursos de pintura, flores, ginástica, reunião da terceira idade, dentre outras atividades. A comunidade pertencia na época, para então Paróquia de São Cristóvão.

No ano de 1984, a então Capela de Nossa Senhora do Monte Claro, torna-se Paróquia e a Capela Sagrada Família passa a pertencer a essa nova Paróquia, sendo o primeiro pároco o Pe. Ernesto Zaramella.

No dia 18 de Abril de 1993 com a Santa Missa às dez horas, celebrada pelo Pe. Rodrigo foi lançada a pedra fundamental da construção da nova igreja e no mês de maio de 1995 foi celebrada a primeira missa, sendo que o local ainda não estava concluído. A primeira comunhão e a crisma do ano de 1995 foram celebradas já no espaço da igreja nova. Em 1996, ainda não estando totalmente concluído o templo, foi realizada a mudança definitiva para a nova Igreja.

No dia 07 de Maio de 2006, reconhecendo que “Grande é o Senhor e digno de todo o louvor” (Salmo 144), a comunidade celebrou seus 25 anos de caminhada. O foco central foi à importância da família, como estrutura fundamental para a vida cristã e também, as Capelinhas de Nossa Senhora, as quais a exemplo de Maria visitam as famílias da comunidade, levando uma mensagem de paz e alegria. O tema da comemoração festiva adotado nessa ocasião e posteriormente é Festa da família e das Capelinhas.

Localização: Rua José Grabias, 65 | CJ. São José | CEP.: 83040-360 | São José dos Pinhais/PR | (41) 3382-3130

Facebook Capela Sagrada Família

Horário das Missas: 1ª Sexta-feira às 16:00, 1º Sábado às 19:00, 2º e 3º Domingo às 08:00hs